Editorial

Por aqui você encontra iniciativas, movimentos e inovações que assumem um compromisso verdadeiro com a conservação da natureza, a qualidade das relações entre os seres vivos e o respeito aos povos e suas riquezas culturais.

Iniciativa mexicana troca material reciclável por produtos agrícolas

Iniciativa mexicana troca material reciclável por produtos agrícolas

Antigamente era comum o comercio de escambo, onde as pessoas adquiriam aquilo que necessitavam a partir da troca comercial mutua de produtos como peixe, verduras, farinha, etc. Contudo, com o tempo e o uso habitual do dinheiro, essa técnica foi sendo deixada de lado.

Mas no México, a Secretaria do Meio Ambiente do Governo do Distrito Federal, decidiu reviver esse costume do passado a favor do meio ambiente, e desenvolveu o projeto Mercado de troca da Cidade do México (do espanhol, Mercado de Trueque de la Ciudad de México).

Com o objetivo de fomentar a educação ambiental e mostrar aos cidadãos de maneira direta que o que é chamado de lixo, pode ter muito valor, o Mercado de Troca promove a troca de material reciclável por produtos agrícolas.

Iniciativa mexicana troca material reciclável por produtos agrícolas

O programa funciona da seguinte maneira: com os materiais recicláveis separados e limpos, a população vai ao Mercado e os trocam por “pontos verdes”, uma espécie de moeda simbólica que equivale ao número e classificação de cada objeto. Com os pontos verdes, é possível comprar os produtos agrícolas da temporada como alface, cenouras, tomates, queijos e até mesmo plantas.

É permitida a compra de até dez quilogramas por pessoa e os materiais aceitados são: vidro, papel, caixas de leite e papelão, latas de alumínio, garrafas PET e até lixo eletrônico.

É importante destacarmos que todos os produtos comercializados pelo Mercado de Troca são de origem local, visando à redução de emissões de carbono produzidas no transporte dos alimentos.

 

Fonte e Fotos: Mercado de Trueque

Notícias relacionadas

Bliive: rede social que propõe a troca de tempo

Bliive: rede social que propõe a troca de tempo

A internet gerou diversas facilidades em nossas vidas, e uma delas foi a maior interação entre as pessoas. Para mostrar que a web pode ser uma ferramenta facilitadora de conexões humanas além da rede, nasceu a plataforma Bliive, uma rede social que incentiva as pessoas a partilharem aquilo que fazem melhor.

A Bliive estabelece o intercâmbio de habilidades por meio de um sistema de troca de tempo. Cada integrante pode oferecer um serviço durante uma hora – uma aula de violão ou fotografia, por exemplo – e a partir dessa hora a pessoa ganha o TimeMoney, uma moeda simbólica que pode ser utilizada em outras transações de troca de tempo que você solicite.

Você pode ofertar diversas habilidades, que são classificadas da seguinte maneira:

CALOURO – Quando você é novo e não tem tanta experiência na atividade ofertada.

NA ESTRADA – Se já possui confiança e experiência no serviço que está oferecendo.

VETERANO – Quando você se considera um expert ou profissional.

Bliive é um serviço gratuito e para fazer parte dessa rede, basta ser convidado por algum participante ou solicitar a entrada no próprio site através de um cadastro. Após a aprovação, cada um pode oferecer suas habilidades e buscar aquelas que tenham interesse em aprender.

Lançada no final de maio, a plataforma já conta com cerca de 6.800 adeptos da troca de tempo espalhados por 45 países. Os intercâmbios podem ser presenciais ou via web, o importante é compartilhar conhecimentos.

Confira o vídeo de apresentação da rede Bliive:

 

Fontes e foto: Bliive y iG

Notícias relacionadas

Bike Anjo: formando ciclistas

Bike Anjo: formando ciclistas

Há a ideia de que as primeiras pedaladas que damos sozinhos ocorrem somente na infância. Pensando nisso, uma iniciativa brasileira resolveu mudar esse paradigma e mostrar que aprender a andar de bicicleta é importante em qualquer fase da vida. Assim surgiu o Bike Anjo, um grupo de amigos apaixonados pelo ciclismo, que decidiu passar esse amor adiante e contribuir diretamente para a formação de novos adeptos da bicicleta.

Formado por ciclistas voluntários, o projeto Bike Anjo busca unir experiências e dar até mesmo o primeiro empurrãozinho para aqueles que buscam aprender a se locomover sobre duas rodas. A partir de atendimento individual, oficinas educativas e passeios ciclísticos, o grupo dedica tempo, técnica e paciência ao ciclista iniciante, dando assistência em suas primeiras pedaladas, ensinando medidas de segurança no trânsito, melhores trajetos e manutenção básica de bicicletas.

Bike Anjo: formando ciclistas

Com objetivo de construir uma cidade melhor com um trânsito mais seguro para as pessoas, o projeto Bike Anjo busca por meio da educação e orientação, aumentar o número de bicicletas nas ruas, gerando assim uma maior visibilidade para este meio de transporte, que contribui tanto para o meio ambiente, quanto para o bem estar pessoal.

Presente em mais de 60 cidades do Brasil, o projeto conta com a plataforma bikeanjo.com.br onde através do preenchimento de um formulário é possível solicitar gratuitamente um Bike Anjo ou se tornar um. Lá também estão mapeados mais de 300 ciclistas voluntários, dispostos a tornar o ato de pedalar mais seguro e prazeroso para todos.

Confira baixo o vídeo sobre a iniciativa Bike Anjo produzido pelo projeto Imagina na Copa.

 

Fontes: Catarse e Bike Anjo
Fotos: Perfil Oficial de Bike Anjo no Facebook

Notícias relacionadas

Club Botânico Ambiental: jovens cultivando vida

Club Botânico Ambiental: jovens cultivando vida

Cada vez mais surgem em todo o mundo diversas iniciativas formadas por jovens. Sendo assim, ver as gerações mais recentes engajadas com as causas ambientais e sociais é um grande estímulo para todos que possamos acreditar na construção de um futuro mais humano e responsável.

Formada por um grupo de jovens da cidade de Medellín na Colômbia, o Club Botânico Ambiental (Club Botánico Ambiental) é uma dessas iniciativas que buscam fazer dos mais novos, agentes transformadores da sociedade. A ideia de formar uma organização nasceu da vontade de despertar a consciência na comunidade sobre a importância do cuidado ambiental e social.

Club Botânico Ambiental: jovens cultivando vida

Atuantes desde 2008, o grupo elabora propostas que colaboram não somente com o ambiente ao redor, mas também com o beneficio próprio de cada um, buscando abordar as adversidades da vida uma maneira mais humana e cooperativa. Conheça os projetos de Club Botânico Ambiental:

Pulmões mais verdes: com o objetivo de unir reflorestamento à outra causa especial, esse projeto realiza o plantio de árvores por pessoas que possuem algum tipo de doença terminal. Além de ter fins terapêuticos, essa ação oferece aos pacientes a oportunidade de deixarem um presente especial para a Terra, contribuindo para a conservação do meio ambiente, tornando-o mais verde e saudável. A meta da iniciativa para esse ano é plantar aproximadamente 2.400 árvores nativas e frutíferas em áreas da Colômbia.

Pelo meu bairro: nesse projeto o grupo ensina sobre a importância de conservar o meio ambiente e que o primeiro passo é cuidar do que temos ao nosso redor. Através de atos culturais, grafites e da troca de lixo e resíduos acumulados na rua por plantas, são oferecidas novas alternativas aos moradores de aproveitar e cooperar com a harmonia do seu bairro.

Declaratória: através da elaboração de um documento informativo, no qual estratégias de desenvolvimento sustentável são apresentadas, os jovens se comprometeram a garantir e contribuir de maneira ativa na proteção dos recursos naturais da Colômbia. Organizando mesas de trabalho e debate em escolas, o grupo discute temas como economia verde, biodiversidade, conservação e problemas sociais.

 

Fonte: Club Botánico Ambiental
Fotos: Perfil Oficial en Facebook de Club Botánico Ambiental

Notícias relacionadas

Bicicletas sem Fronteiras

Bicicletas sem Fronteiras

A bicicleta é uma alternativa de transporte que beneficia não só a nossa saúde como a do planeta. Além de estimular o desenvolvimento físico e gerar experiência de liberdade, ela nos permite ter um maior contato com o meio em que vivemos. Porém, sabemos que nem todos tem a oportunidade de desfrutar desse meio de locomoção efetivo e divertido.

E foi pensando nessas pessoas que nasceu na Espanha a Bicicletas sin Fronteras (Bicicletas sem Fronteiras), uma ONG que destina bicicletas para quem necessita, especialmente para pessoas de poucos recursos e crianças com risco de exclusão social.

A iniciativa recolhe bicicletas em qualquer lugar da Espanha e, através do preenchimento de um formulário de doação no site oficial, ela se encarrega de buscá-las, reformá-las, pintá-las de amarelo (cor oficial da organização) e dar-lhes uma nova vida, com um novo dono.

Bicicletas sem Fronteiras

Desde a sua criação em agosto de 2012, a ONG já realizou 7 projetos. Entre eles Uma bici para tu vecino (Uma bicicleta para seu vizinho), que mostrou que não é necessário ir muito longe para fazer a diferença. O projeto estimulou moradores a recolher as bicicletas esquecidas na garagem e doá-las para as crianças da comunidade. Aproximadamente de 66 bicicletas foram destinadas aos novos donos e, além dos projetos locais, a Bicicletas sem Fronteiras já realizou doações na Índia e em países do continente africano.

A organização tem previsto para novembro, uma viagem até a remota aldeia de Oulad M’Taá, no sul do Marrocos, para entregar pessoalmente bicicletas solidárias às crianças que as necessitam para irem à escola. Além das doações, a Bicicletas sem Fronteiras organiza vários tipos de eventos como bingos, vendas de camisetas e promove palestras em escolas espanholas difundindo seus projetos em busca de transmitir valores solidários aos mais jovens.

Você se interessou pela iniciativa e quer contribuir? Você  pode acessar esse aplicativo para Facebook, onde é possível construir uma bicicleta personalizada através de uma oficina virtual e compartilha-la em seu mural. A cada 100 bicicletas virtuais criadas e compartilhadas, uma bicicleta real será doada para a ONG Bicicletas sem Fronteiras.

 

Fonte: Bicicletas sin Fronteras
Fotos: Perfil Oficial de Bicicletas Sin Fronteras no Facebook

Notícias relacionadas

Mali ganha escolas sustentáveis

Mali ganha escolas sustentáveis

Uma aldeia rural na cidade de Dogon, no Mali, recebeu um centro educacional construído de maneira sustentável. O projeto foi desenvolvido por arquitetos holandeses e encomendado pela Foundation Dogon Education.

O primeiro passo dos arquitetos foi escolher o local adequado para a construção da escola. Eles ouviram as comunidades e encontraram um ponto que serviria de acesso também às pessoas que moram em aldeias vizinhas. Porém, a construção precisava seguir alguns pontos básicos, como a utilização de materiais e recursos locais, para que ela fosse econômica e sustentável.

Mali ganha escolas sustentáveis

Também era preciso que ela fosse integrada à comunidade, utilizando métodos tradicionais de construção, ou seja, que fosse construída com tijolos de barro, feitos na própria região, e que também substituíram as telhas. Essa opção aumentou o conforto térmico – no Mali a temperatura pode passar os 40ºC – e fez com que não fosse preciso o uso de métodos artificiais, como ventiladores e ar condicionado, para manter a temperatura interna sempre amena.

A escola é dividida em blocos: dois deles são de salas de aula e banheiros, e o outro é onde ficam as moradias dos professores. O complexo conta ainda com uma área livre usada para aulas e lazer. Com a construção da escola os alunos também puderam aprender técnicas de construção e foram capacitados para replicá-las em outras construções.

 

Fonte e fotos: Plataforma Arquitetura 

Notícias relacionadas

Purifique o ar da sua casa!

Composto por vários gases atmosféricos, o ar se tornou sinônimo de vida por ter oxigênio em sua formação. Distribuído em toda a superfície terrestre, consideramos o ar um elemento vital, mas ele não é como a água e os alimentos, que conseguimos ver e observar se está bom ou não. O que sabemos é que nosso corpo sofre quando não estamos em um lugar com a qualidade necessária e muitas doenças surgem com isso.

Todos os anos, sempre na segunda sexta-feira do mês de agosto, comemora-se o Dia Interamericano de Qualidade do Ar, uma data importante (neste ano será no dia 09) para recordar a importância de fazer a nossa parte e ajudar a manter o ar mais puro no nosso planeta. Existem ações simples que podemos praticar no dia a dia, como a redução do consumo de cigarros, utilizar o transporte público, bicicletas e compartilhar carros, além de plantar árvores.

Porém, de acordo com pesquisas da Agencia de Proteção Ambiental Americana (EPA) os níveis de contaminação do ar em ambientes fechados podem chegar a ser de 10 a 100 vezes mais elevados que as concentrações exteriores.

Por isso, o Blog Ekos preparou uma lista com sete tipos de plantas, que além de decorar a sua casa, vai ajudar a melhorar a qualidade do ar.

Purifique o ar da sua casa!

Foto: commons/Forest & Kim Starr

Fícus ou Laurel da Índia: ao olhar para essa planta com as folhas sempre verdes, não imaginamos o poder que ela tem de purificar o ar. Ela é ideal para espaços fechados, pois não precisa de luz direta, além de filtrar gases tóxicos e produzir oxigênio.

Purifique o ar da sua casa!

Foto: commons/Forest & Kim Starr

Palma de Bambu: esta espécie tropical de palmeira é muito utilizada como planta ornamental, mas seus benefícios vão além da decoração. Ela é de fácil cultivo, atua como umidificador natural e elimina do ar o formaldeído, uma substância química conhecida como formol.

Purifique o ar da sua casa!

Foto: commons/Vulkan

Hera: esta trepadeira é muito vista em muros, mas também pode ser cultivada em vasos pendurados no interior da casa. Conhecida como “uma solução para as alergias”, um estudo da WebMD (empresa de informações da área da saúde) comprovou que 60% do mofo do ar de uma casa desapareceu em apenas seis horas depois que colocaram a planta.

Purifique o ar da sua casa!

Foto: commons/firooo2

Gérbera: esta planta, que floresce quase todo o ano, promete melhorar o sono, uma vez que absorve uma alta quantidade de dióxido de carbono, o que faz com que ela emita mais oxigênio à noite. Além disso, as belas flores ajudam a remover do ar o benzeno – substância que, em grande exposição, pode causar efeitos negativos sobre o corpo humano.

Purifique o ar da sua casa!

Foto: commons/Derek Ramsey

Espada de São Jorge: com a fama de indestrutível, essa planta resiste à atmosfera seca, a pouca iluminação e até mesmo a falta de água, e é considerada uma das plantas de interior mais resistes. É também muito eficiente na absorção de óxidos de nitrogênio e formaldeído.

lirio-da-paz

Foto: commons/Peter Fisk

Lírio da Paz: estas flores podem ser chamadas de “limpeza de todos”. Facilmente encontrada, são conhecidas por eliminar o mofo do ar e o tricloroetileno, uma substância química que é utilizada como solvente.

Purifique o ar da sua casa!

Foto: commons/zimbres

Planta Aranha: de fácil adaptação no interior das casas, essa planta elimina diversas toxinas e impurezas, especialmente o monóxido de carbono. Além disso, é considerada uma das três melhores plantas para eliminar o formaldeído do ar.

 

Fontes: Veo Verde e Mi Nuevo Hogar
Fotos:  commons/Forest & Kim Starr/Zimbres/Derek Ramsey/Fir0002/Peter Fisk

Notícias relacionadas

Materiais reciclados ganham uma nova vida

Materiais reciclados ganham uma nova vida

Uma organização norte americana realizou uma campanha de serviço público para motivar as pessoas a reciclarem seu lixo diariamente. Para isso, eles fizeram vídeos mostrando a vida útil dos materiais recicláveis, como garrafas de plástico e latas de alumínio. O objetivo foi abordar o tema reciclagem de uma forma mais atraente: dando voz aos objetos que mostram o que querem ser futuro.

Nos Estados Unidos, de acordo com a Agência de Proteção Ambiental, somente 35% do lixo gerado no país é reaproveitado e um dos motivos é o desconhecimento da população ao processo.

Ao todo, foram feitos três filmes para a TV, que utilizaram locações de paisagens tipicamente americanas, como o estádio do time de futebol americano, o Baltimore Ravens, construído parcialmente a partir de alumínio pós-consumo.

Depois de veiculada, a campanha buscará parceiros para realizar os “sonhos” das próprias embalagens do produto, como por exemplo, uma latinha de refrigerante que “sonha” em ser uma bicicleta. Para a vice-presidente da empresa, a campanha tem o impulso emocional necessário para mudar o comportamento das pessoas ao mesmo tempo em que fornece ferramentas para facilitar a reciclagem.

Abaixo, você pode conferir o vídeo (em inglês) de uma garrafa plástica da cidade que sonhava em ver o mar. Isso foi possível, graças a ajuda de uma pessoa que a descartou no lixo reciclável e ela se tornou um banco para as pessoas se sentarem e apreciarem o mar.

 

Fontes: I Want to Be Recycled, Ad News e Ciclo Vivo
Foto: sxc.hu

Notícias relacionadas

Materiais reciclados são trocados por verduras

salad

Imagine que, ao trocar materiais recicláveis, você leva para casa legumes e verduras frescas? É o que acontece em Jundiaí, interior de São Paulo.  O “Delícia de Reciclagem” é o projeto que promove essa troca para que moradores da cidade  tenham acesso as verduras e legumes produzidos na Unidade de Desenvolvimento Ambiental (Unidam) do município, que cultiva uma horta.

A iniciativa foi criada em dezembro de 2012 e, através de uma Kombi da prefeitura, que passa por bairros onde não há o acesso ao serviço de coleta seletiva, os alimentos são destinados para famílias que vivem por ali. Para isso, elas entregam garrafas de plástico, vidro e papelão que serão reciclados.

A horta que abriga os alimentos tem iniciativa sustentável,  já que o local é alimentado a partir de reutilização: o  adubo, por exemplo, é feito de galhos e tronco de árvores retirados durante as podas. O espaço conta com mais de 30 mil pés de verduras como alface, chicória, cenoura e beterraba.

Gostou da iniciativa?

Fontes: Respostas sustentáveis, Eco Desenvolvimento
Fotos: sxc

 

Notícias relacionadas

Dia Mundial do Rock: rock sustentável

Dia do Rock: rock sustentável

Foi nos anos 50, através da mistura do blues, jazz e country, que um novo ritmo começou a dar seus primeiros passos. Assim surgia o Rock, um estilo musical que tem unido diversas gerações e, com o tempo, se transformou em um dos ritmos mais influentes e populares do mundo.

Amanhã, de 13 de julho, é o Dia Mundial do Rock, e abaixo vamos mostrar que essa corrente musical forte e cheia de atitude também se preocupa com o planeta.

Maná: é um grupo mexicano que sempre se mostrou comprometido com as causas ecológicas e esse interesse se reflete nas músicas. Em 1995, o grupo criou “Selva Negra”, uma fundação com foco nos projetos sociais e de preservação do meio ambiente, que atua ativamente para a conservação das florestas, tartarugas marinhas e todas as formas de vida da natureza.

Pearl Jam: em 2006, a banda reverteu parte do dinheiro arrecadado com a turnê em ações de preservação de florestas tropicais em Madagascar. Três anos mais tarde, o grupo doou cerca de 100 mil dólares para nove ONGs que desenvolvem novas tecnologias para a criação de fontes renováveis de energia. Eles também passaram a utilizar o biodiesel nas turnês.

Paul McCartney: o ex-Beatle é o criador da campanha “Meat Free Monday” (“Segunda-feira sem carne, em português), que sugere que as pessoas não comam carne, por pelo menos uma vez na semana. Com isso é possível ajudar na redução de uma parte das emissões de CO2 da qual a pecuária é responsável.

Coldplay: essa banda inglesa apoia a ONG Make Traid Fair, que busca incentivar e discutir a resolução de problemas em países pobres. Para neutralizar as emissões de CO2 geradas com a produção e distribuição de seus álbuns, eles contrataram, em 2002, uma empresa para plantar 10 mil árvores na Índia. Mais tarde, na turnê de 2009, o grupo realizou, nos Emirados Árabes, o primeiro show com carbono neutro.

MudaRock

Dia do Rock: rock sustentável

Aqui no Brasil, existe o movimento MudaRock, que por meio da música busca conscientizar as pessoas sobre os problemas ambientais do planeta e incentivá-las a terem atitudes mais sustentáveis. O movimento conta com o apoio de bandas como Skank, Cachorro Grande, Fresno, Nando Reis, Kiko Zambianchi, entre outras. O MudaRock propõe que a cada download das músicas participantes do projeto, uma árvore nativa seja plantada em parceria com o Instituto Brasileiro de Florestas. A meta é alcançar 1 milhão de árvores.

Confira no vídeo abaixo como funciona:

 

Fontes: Greenstyl, Sustentável Blog e Muda Rock
Foto: sxc e Muda Rock

Notícias relacionadas