Editorial

Por aqui você encontra iniciativas, movimentos e inovações que assumem um compromisso verdadeiro com a conservação da natureza, a qualidade das relações entre os seres vivos e o respeito aos povos e suas riquezas culturais.

Twitter

Dia da Diversidade Cultural: a diversidade brasileira

Dia da Diversidade Cultural: a diversidade brasileira

Hoje, 21 de maio, comemoramos o Dia Mundial da Diversidade Cultural para o Diálogo e o Desenvolvimento. A data foi criada pela Assembleia Geral das Nações Unidas em dezembro de 2002 e busca facilitar a mobilização de todas as partes para promover a cultura em toda a sua diversidade e forma.

A cultura é um fenômeno comum para todos os seres humanos, já que cada um de nós, ao viver em sociedade, aprende o que as gerações anteriores transmitem e, com esse conhecimento, pode contribuir para que a cultura siga crescendo. Apesar de ser um bem comum, a cultura também nos diferencia, já que cada grupo social constrói suas próprias representações culturais de acordo com suas preferências, seus interesses, seus medos, suas inquietudes etc. São essas características que tornam a nossa sociedade rica e diversa.

O Brasil, por ter um território extenso, possui uma diversidade cultural enorme, graças à mistura de cores, raças e culturas. A diversidade cultural inclui desde vestimentas até comidas típicas de cada região. O nosso país possui uma cultura específica, que foi herdada de índios, europeus e africanos. Mais tarde, os imigrantes italianos, japoneses, alemães, poloneses, árabes, entre tantos outros, contribuíram ainda mais para a pluralidade cultural do Brasil.

Que tal aproveitar o dia e saber mais sobre a diversidade cultural das regiões do Brasil? O Blog Ekos traz algumas características. Confira!

Dia da Diversidade Cultural: a diversidade brasileira

O Norte possui uma imensa quantidade de eventos culturais. Entre as festas populares, quem nunca ouviu falar do Círio de Nazaré, em Belém (PA), e do Festival de Parintins, no Amazonas? A influência indígena sobre a culinária é grande na região, sendo baseada no consumo de mandioca e de peixes.

No Nordeste, a cultura é representada por meio de danças e festas como o maracatu, o frevo e a capoeira. A culinária típica é representada pelo sarapatel, arroz doce, pamonha, tapioca entre outros. A cultura nordestina também está representada no artesanato de rendas.

A cultura do Centro-Oeste é representada pelas cavalhadas e procissão do fogaréu, no estado de Goiás, e pelo cururu, no Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Assim como na região norte, a culinária tem influencia indígena misturada à culinária mineira e paulista. Entre os pratos típicos da região, estão a galinhadas com pequi e guariroba, o empadão goiano, o pacu e o dourado, peixes do Pantanal.

As festas populares de cunho religioso são celebradas no interior da região Sudeste. Entre elas, destacam-se as cavalhadas em Minas Gerais e a peregrinação a Aparecida – SP. O carnaval e o peão de boiadeiro são danças típicas, enquanto, na culinária, os pratos principais são o pão de queijo, a farofa, a moqueca capixaba, a pizza e a feijoada.

Com aspectos culturais de imigrantes portugueses, espanhóis, alemães e italianos, a região Sul celebra as tradições de gerações em festas típicas como a festa da uva e a oktoberfest. Na culinária estão presentes o churrasco, o chimarrão e o marreco assado.

 

Fontes: Mundo Educação, Brasil Escola , Unesco e Brasil.gov
Fotos: sxc.hu